sábado, 18 de março de 2017

Análise: TOC Weekly Shonen Magazine #15 (Ano 2017).


Alteração Crucial

É, pessoal, com mangás veteranos acabando, quatro estreias até agora dá pra dizer que a Shonen Magazine está planejando mudar algumas coisas na line-up. Mas pra ser franco, o título "alteração crucial" é bem sugestivo à obra que foi a capa física e digital da edição: Fuuka. Mais abaixo tentarei explicar (sem spoilers) o porquê.

TOC Weekly Shonen Magazine #15 (2017):
Ahiru no Sora (Página Colorida de Abertura, 25 pg.) (capítulo 550)
01. Nanatsu no Taizai (capítulo 210)
02. Daiya no Ace - Act II (capítulo 72)
03. 8-gatsu Outlaw (capítulo 12)
04. Hoshino、Me o Tsubutte。 (capítulo 47)
05. Hajime no Ippo (capítulo 1175)
06. Fumetsu no Anata e (capítulo 16)
07. Domestic na Kanojo (capítulo 133)
Tokyo Revengers (Pré-Rank, 32 pg.) (capítulo 03)
Mahou Sensei Negima! (Capítulo Especial)
School Rumble (Capítulo Especial)
08. Senryuu Shoujo (capítulo 23)
09. Seitokai Yakuindomo (capítulo 415)
Fuuka (Capa Física, Capa Digital, Página Colorida) (capítulo 147)
10. Fairy Tail (capítulo 526)
Rankers High (Pré-Rank) (capítulo 06)
11. Vector Ball (capítulo 43)
12. Baby Steps (capítulo 497)
13. Real Account (capítulo 107)
14. DAYS (capítulo 191)
15. En En no Shouboutai (capítulo 71)
16. Area no Kishi (capítulo 496)
17. Kindaichi Shounen no Jikenbo R (*)
18. 6cm no Kizuna (capítulo 11)
19. Tsurezure Children (*)

LEGENDA
(*) - Numeração do capítulo não identificada

TOC Weekly Shonen Magazine #16 (2017):
- Capa Física: Yurina Hirate
- Capa Digital, Página Colorida de Abertura: Baby Steps
- Página Colorida: Fairy Tail
- One-shot: Ponanza 〜Jinrui vs Saikyou Shougi Software〜 , por Ryousuke Fuji (40 pg.)

TOC Weekly Shonen Magazine #17 (2017):
- Fim: Area no Kishi


A capa digital e física, além de uma das páginas coloridas, foram para Fuuka, que recentemente entrou numa espécie de polêmica quando em seu anime um acontecimento crucial no mangá foi alterado. Não passarei maiores spoilers sobre o ocorrido mas algo que posso adiantar e que não é menos que essa alteração é a aprovação do autor Kouji Seo, que inclusive (pelo que foi possível compreender de minha parte) já estava ciente dessa alteração ao receber a proposta e chegou até a considerá-la publicamente "uma dádiva". Para conferir mais sobre suas declarações, deixo aqui o link da matéria no Anime News Network, mas já adianto que a matéria contém spoilers cruciais.

A página colorida de abertura ficou a cargo de Ahiru no Sora, que chegou à incrível marca de 550 capítulos publicados. Apesar de estar apresentando queda nas vendas de volumes, pelo menos por enquanto a média é de 200 mil cópias vendidas por volume, quantidade que ainda é superior a de muitos colegas do plantel. Os novatos Tokyo Revengers e Rankers High ainda estão em seus terceiro e sexto capítulos respectivamente. Essas obras somente passarão a ser ranqueados a partir do oitavo capítulo. Mas é curioso notar que Rankers High pegou um pré-rank baixo. Também tivemos capítulos especiais de mangás bem-sucedidos e já finalizados, como Mahou Sensei Negima! e School Rumble.

Na primeira posição está o pilar Nanatsu no Taizai, que continua com um rendimento bastante elevado e em uma situação bastante confortável. Mesmo assim isso não significa que o mangá irá durar por um prazo deveras longo. Nanatsu já entrou em seu arco final e pode durar por um prazo não muito longo. A decisão do autor de não protelar demais com o desenvolvimento do mangá provavelmente deve-se a uma opção de finalizar a obra de uma forma mais natural e sem permitir que ela sofra um grande desgaste (algo que vemos que está acontecendo com Fairy Tail). Para todos os efeitos a obra segue em alta e é possível que termine em alta.

Em segundo lugar temos outro pilar, Daiya no Ace - Act II, que está sofrendo um relativo aumento: a média de vendas aos poucos vai subindo de 300 mil para 350 mil cópias em média vendidas por volume. Com isso as vendas de Daiya começam a passar as de Fairy Tail, embora o mangá de Hiro Mashima continue tendo um pouco mais de apelo comercial que o mangá de beisebol. A expectativa é que a continuação de Daiya no Ace possa se expandir comercialmente mais pra frente. Na terceira posição está o novato 8-gatsu Outlaw, que ainda está em busca de sua firmação e não é garantido que a obra fará sucesso na revista. Mas, diferente de 6cm no Kizuna, ao menos 8-gatsu pode se manter caso apresente um nível pelo menos satisfatório nas vendas de seus volumes.

Em meio aos riscos de cancelamento, Hoshino、Me o Tsubutte。 , que ficou em quarto lugar nessa edição, teve uma venda de pouco mais de 30 mil cópias de seu quarto volume em dezessete dias. A quantidade é relativamente baixa. Talvez não baixa o bastante para os autores optarem por transferir a obra ou até mantê-la por um bom tempo, mas o bastante para que sua manutenção não seja uma das prioridades do plantel. O rendimento das vendas até está melhorando mas não a um nível impressionante.

O grande veterano Hajime no Ippo ficou no quinto lugar... Bem, a situação do mangá continua estável mesmo com o desgaste com o passar dos anos. Essas diminuições de rendimento são enceradas como naturais para uma obra com quase três décadas de publicação e que ainda consegue manter um nível superior ao de boa parte (senão à grande maioria) das obras do plantel. Em suma, Hajime ainda deve durar um bom tempo se essa for a vontade do autor George Morikawa.

Página Colorida de Abertura: Ahiru no Sora

No sexto lugar está o novato Fumetsu no Anata e, que em um mês e meio viu seu primeiro volume vender 72 mil cópias. As vendas devem chegar a pelo menos 80 mil cópias e não está descartado um aumento no nível de vendas no lançamento do segundo volume. Para todos os efeitos Fumetsu está se estabilizando e conseguindo se firmar. Já na sétima colocação está o mangá Domestic na Kanojo, cuja média de vendas é de 75 mil cópias por volume. A obra ainda mantém um bom rendimento e o destaque dos editores embora, devido à sua temática mais madura, corra riscos de não receber uma adaptação em anime mais para frente. Ao menos a autora Kei Sasuga mostra mais uma vez sua capacidade de fazer sucesso na Weekly Shonen Magazine.

O novato gag mangá Senryuu Shoujo, oitavo lugar da vez, ainda está no aguardo para as vendas de seu primeiro volume para saber se conseguirá se estabilizar ou não no plantel da Shonen Magazine. A recepção da obra é boa mas não necessariamente garante sua permanência. É bem verdade que o foco dos gag mangás é uma boa recepção mas a expectativa dos editores é de ver Senryuu alcançar resultados no mínimo razoáveis para os padrões da revista. Mas se por um lado Senryuu Shoujo está em busca de estabilização, por outro, na nona posição, está o veterano Seitokai Yakuindomo, que mesmo com quase uma década de publicação ainda apresenta um nível bom e estável de vendas e um bom potencial comercial, tanto que um filme animado da obra irá estrear nos cinemas japoneses em julho. Em suma, Seitokai, que possui uma média de vendas de pelo menos 100 mil cópias por volume, continua em alta na revista.

Na décima colocação quem aparece é Fairy Tail, que pode até sofrido alterações em seus status que simbolizaram a perda de popularidade e de um nível de vendas de volumes mais elevado. Mas uma coisa ainda não foi alterada: o bom potencial comercial que a obra de Hiro Mashima representa para os padrões da Weekly Shonen Magazine. Recentemente saiu mais um trailer do próximo filme de Fairy Tail (Fairy Tail: Dragon Cry), que pode ser conferido clicando nesse link. Já na décima primeira posição quem aparece é o (ainda) novato Vector Ball, que já conseguiu sua estabilidade e deve vender por ora uma média 60 mil cópias por volume, com relativas possibilidades de crescimento nesse nível de vendas. Apesar de não ser um novato tão chamativo quanto parecia que seria em sua estreia, é inegável que ele encontrou seu espaço na line-up.

O décimo segundo lugar dessa edição ficou para o mangá de tênis Baby Steps, que deve completar dez anos de publicação em outubro. O mangá também está pertinho da marca de quinhentos capítulos publicados, marca essa que por muito pouco Area no Kishi não vai alcançar (esse será finalizado com 498 capítulos aparentemente). Enfim, devido a uma aparente queda nas vendas dos volumes e com o surgimento de alguns novato mais estáveis, Baby Steps começou a receber um pouco menos de destaque. Ainda assim a obra ainda conta com o apoio dos editores e não deve ficar nem um pouco ameaçada ou com risco de cancelamento. Aliás... Baby Steps voltará a ter destaque na próxima edição, ganhando a capa digital e a página colorida de abertura.

E pelo visto a "carência afetiva" de Real Account , na décima terceira colocação, vai permanecer... os editores continuam não dando muito destaque à obra. Ou seja, não vemos há tempos Real Account pegar posições altas na ordem de leitura ou ganhar páginas coloridas. E o curioso é que as vendas do mangá não decaíram: o décimo terceiro volume vendeu 70 mil cópias em dezessete dias, um rendimento superior ao de Hoshino、Me o Tsubutte。, Domestic na Kanojo e, pelo menos por enquanto, Vector Ball e Fumetsu no Anata e. Essas obras vem ganhando mais destaque e páginas coloridas que Real Account (embora no caso de Fumetsu seja compreensível, por ser um novato que estreou há pouco tempo). Bem, é esperar e ver se essa falta de destaque de Real Account permanecerá por muito tempo.

Na porta do bottom, no décimo quarto lugar, está o mangá de futebol DAYS, que vai perder seu "colega" Area no Kishi daqui a duas edições. A situação de DAYS está bem tranquila, considerando o aumento moderado nas vendas de seus volumes e a continuação do anime televisivo que conseguiu apresentar um rendimento bom. Isso sem falar no apoio editorial que a obra possui e que só aumentou com a melhora de rendimento pós-anime. Em suma, ainda veremos DAYS se destacar por mais um tempo.

Página Colorida: Fuuka

Abrindo o bottom no décimo quinto lugar está En En no Shouboutai, cuja média de vendas de volumes é superior a 120 mil cópias por volume. Apesar da estagnação nas vendas a média é considerada boa para os padrões da revista e o mangá de Atsushi Okubo está nos planos dos editores mesmo à longo prazo. Vale salientar que o mangá ainda pode se expandir comercialmente mais pra frente e que isso pode tornar a obra mais lucrativa para a editora Kodansha.

E eis que temos também o veterano Area no Kishi, que será finalizado em duas edições, na décima sexta colocação. Embora o fim do mangá seja em uma fase bem distante de seu auge e de seu melhor rendimento comercial, ao menos pode-se dizer que os editores permitiram que o autor e o desenhista desenvolvessem a obra até o fim. Infelizmente o anime em 2012 não mudou a situação do mangá para melhor, na verdade, foi praticamente a partir daí que a obra passou a receber menos destaque do que vinha recebendo. Bem, agora só nos resta esperar para nos despedir desse mangá que durante onze anos conseguiu um bom rendimento na revista mesmo em suas piores fases comerciais.

Na décima sétima posição temos Kindaichi Shounen no Jikenbo R, que embora não esteja ganhando tanta atenção dos editores por ora como vinha ganhando um tempinho atrás, ainda está com um rendimento bom, vendendo numa média superior a 100 mil cópias por volume. A franquia Kindaichi continua se mostrando bem rentável para a editora Kodansha e esse apelo comercial ainda é alto, considerando que a franquia já tem duas décadas e meia de existência.

No décimo oitavo lugar temos o próximo canceladão da área, 6cm no Kizuna, cuja maratona que vem percorrendo é rumo ao fracasso. O que é uma pena... O mangá apresentou potencial na sua estreia, mas a baixa recepção inicial dos leitores foi crucial para que 6cm no Kizuna tivesse seu tratamento pelos editores alterado: ele não apenas deixou de receber destaque como passou a ser colocado entre as últimas posições da ordem de leitura antes mesmo desse novato passar a ser ranqueado. 

Fechando a ordem de leitura, na última posição, está Tsurezure Children, que mais uma vez ficou em último lugar justamente para fechar a revista, embora nem sempre esse mangá de comédia curta fique nessa posição. Tsurezure tem um anime previsto para ir ao ar em julho desse ano e seu sétimo volume, na metade de um mês, já vendeu pouco mais de 54 mil cópias por volume, uma média satisfatória para os padrões da revista e que justifica um investimento em um anime. Apesar do investimento no anime não parecer muito elevado, ainda fica a torcida para que Tsurezure tenha um aumento nas vendas de seus volumes.


SITUAÇÕES DOS MANGÁS

PilaresDaiya no Ace - Act II, Fairy Tail, Nanatsu no Taizai
Seguros e Estáveis: Ahiru no Sora, Baby Steps, DAYS, Domestic na Kanojo, Enen no Shouboutai, Fuuka, Fumetsu no Anata e, Hajime no Ippo, Kindaichi Shounen no Jikenbo R, Real Account, Seitokai Yakuindomo, Tsurezure Children, Vector Ball
Aparentemente Seguro: Hoshino、Me o Tsubutte, Senryuu Shoujo
Em Busca de Estabilização: 8-gatsu Outlaw, Rankers High, Tokyo Revengers
A Serem Encerrados (Fim Natural): Area no Kishi
Cancelamento Iminente: 6cm no Kizuna


Bem, pessoal, assim se encerra a análise da edição #15 da Weekly Shonen Magazine.
Gostaria de agradecer a todos pelos comentários com sugestões, informações e críticas sobre as análises. Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

onload='emoticon()'