sábado, 22 de fevereiro de 2014

Reflexões Semanais #08: Aceitação do público, Fanservices, Beelzebub, Fairy Tail... (Leonardo Nicolin).


"Tudo o que eu quero é ser aceito" 

Ninguém lança uma obra, seja do que for, simplesmente por lançar - O autor a divulgar o seu produto, tenta cativar o público, fazê-lo gostar da sua cria... Por isso é pura bullshit a falácia: "Escrevo por mim, e não pelos outros" - Caso você esteja publicando, divulgando, distribuindo a sua criação, é lógico que você escreveu pensando no que os leitores acharão.

Deste modo, que cada autor procura uma aceitação é bem óbvio, porém o que coloco em questão e critico fervorosamente é quando o mesmo distorce toda a sua obra original para agradar alguns fetiches dos fãs... Apostando em uma comédia exagerada, fanservice bem irritante e outros meios para agradar um público alvo. 

A verdade é que o autor deve saber equilibrar, não tem nenhum mal colocar uma página "ousada" no meio de uma luta entre duas mulheres ou mesmo uma cena com Ecchi bem engraçada, o problema é quando o autor começa a utilizar estes elementos desesperadamente para conseguir manter um certo público ainda interessado no mangá.

O maior exemplo disto é Fairy Tail - Não é nenhuma novidade eu criticar o mangá, Mashima a um bom tempo transformou Fairy Tail é um festival erótico, um Ecchi praticamente. Distorcendo e jogando fora todos os aspectos positivos que haviam na série. 

Mas porque alguns autores fazem isso? A verdade é que muitas histórias não conseguem se sustentar após 100 capítulos (Algumas até menos que isso), assim o autor deve por obrigação a colocar cenas bobas para conseguir prender o leitor, enquanto empurra com a barriga toda a história.

É um modo de distração para que os leitores não percebam quanto ruim está o mangá, apostando na estupidez de grande parte do público otaku japonês que ama essas cenas - A procura pela aceitação se torna tão primordial que o autor se rebaixa a níveis ridículos só para manter seu mangá vivo.

Vários outros mangás adotam este tipo de estratégia, um mais atual é Nisekoi que acabou de ganhar anime (Um anime que não conseguiu aumentar a popularidade do mangá, pelo jeito) - É triste, de fato, muito triste ver toda uma boa história sendo jogada fora por causa de um público besta.

Em um ambiente tão competitivo, onde um mangá que não é popular é cancelado em apenas 3 meses, é necessário sim suar artifícios para conquistar o público, mas existe muitos modos mais criativos e interessantes do que a sexualização da série. 

No final, nesse ambiente cruel vários mangás são esquecidos, abandonados... Mangás bons, como por exemplo Sket Dance e mais atualmente, Beelzebub (#LutoForBeel) - Enquanto alguns mangás relativamente ruins, mas que apostam em artifícios ridículos para agradar os fãs. 

É lógico que por exemplo Beelzebub também teve sua culpa no cancelamento, quando o autor pensou que os fãs gostariam de capítulos mais simples, somente voltados a comédia - Acreditou que a aceitação do público viria desta moda, quebrou a cara e teve seu mangá cancelado.

A verdade é que cada autor segue seu instinto, suas vontades (Algumas vezes também pressionadas pelos editores da revista), e faz o que achar melhor para agradar o público... Algumas vezes desviando da proposta inicial do mangá.

A aceitação do público é necessária, mas quanto você se rebaixaria para alcança-la? 

11 comentários:

  1. Ótimo blog. Me pergunto por que matérias tão legais são tão pouco comentadas...

    Pois é, concordo com o que você disse. Sempre que começo a ler um mangá novo, fico torcendo pra ele não se tornar um amontoado de clichês e fanservices feitos somente pra agradar os leitores.
    Infelizmente, está cada vez mais difícil achar um mangá que resista à apelação. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Percebi agora que a matéria é bem recente. Esquece a parte que falei sobre os comentários então XD

      Excluir
    2. Valeu! Eu também já leio um mangá, torcendo para ele não virar um monte de fanservice reunido... Mas cada vez mais os autores estão apostando nisso para agradar o público, esquecendo-se da qualidade.

      É uma triste realidade de muitos mangás.

      Excluir
  2. eu concordo com seus texto ,mas tipo Sket Dance terminou mais por que o autor quis mesmo por que o manga ainda se mantinha até q bem nas toc e em vendas
    Bell é o caso q a culpa é completamente do autor eu gosto do manga mais o autor abusou e muito da paciencia dos fãs teve uma epoca q ficou praticamente um an o com capitulos fillers mais ou menos o q está acontecendo com Nisekoi
    a e sobre o anime não surtir efeito no manga é meio cedo pra ver por que a toc ainda não ranqueou os capitulos após a estreia do anime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu digo isso, porque as pre-vendas do blu-ray do anime foram muito fracas (E provavelmente as vendas também serão), ao ponto do estúdio nem se pagar...

      Sobre Sket Dance, as vendas estavam caindo lentamente, mas estavam e as posições no TOC era mediana - Deste modo acredito que o fim do mangá teve influência dessa má fase que o mangá passava (Lembrado que até meados de 2012, Sket Dance pegava até primeiros lugares, na segunda metade do mesmo ano já tava penando para não ficar no Bottom).

      Excluir
    2. E concordo sobre Beel, o autor abusou demais - O caso de Nisekoi é ainda pior, porque ele começou a enrolar antes de completar 2 anos de mangá... Já no capítulo 60.

      Excluir
  3. As reflexoes semanais são o que tem de melhor no blog, sem dúvida, novamente você foi bem sensato nas suas observações e reflexões, me fazendo refletir sobre os mangas que leio e os artificios que os autores usam para agradar o publico.

    Sobre beelzebub, nao comentarei, esperarei a review do último capítulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu cara Vico! É sempre bom saber que meus textos fazem alguém refletir. E já saiu a review de Beelzebub, a última =/

      Excluir
  4. Fairy Tail é um desperdicio de tempo

    ResponderExcluir

onload='emoticon()'